Total de visualizações

terça-feira, 15 de junho de 2010

Auto-conhecimento


Resolvi fazer uma pesquisa de minha infância, para quem sabe descobrir respostas para perguntas sobre minha alimentação que eu nunca consegui responder.
Numa conversa com minha mãe, uma conversa bem divertida, diga-se de passagem, eu soube que sempre fui uma menina gordinha e de perna grossa.
Nasci com aproximadamente 4,5 kg e 49 cm (minha mãe não se lembra ao certo), procurei o hospital para ver se conseguia esta informação, mas todos os dados foram destruídos, pois a norma do hospital é que após 20 anos tudo seja descartado.
Fui amamentada exclusivamente ao peito durante os cinco primeiros meses e depois desse período incluiu mingau de “maisena” que duraram dois anos, após essa fase tomava leite da vaca da roça com açúcar e aos quatro anos não tomava mais leite a não ser com “toddy”.
A partir dos cincos anos freqüentava uma cantina que funcionava do lado da minha casa, nessa cantina servia-se lanches para comunidade carente do bairro e nesses lanches ás vezes serviam sopa de legumes, macarronada, mingau de milho e polenta e minha mãe disse que amava, comia muito.
Eu estudava na Escola Estadual que era na esquina de minha casa, lá serviam lanches fornecidos pelo governo, por isso não levava lanches de casa, pois lanchava os lanches da própria escola eram muito bem feitos e minha mãe conta que eu também gostava muito. Acho que estou ficando assustada com as descobertas.
Como a minha mãe tinha de trabalhar fora, a minha irmã cuidava de mim inclusive das refeições, esquentava a comida que minha mãe preparava no jantar, dava banho e arrumava-a para escola.
A minha mãe disse desde muito novinha descobriu que eu não gostava de cebolas, pois nem mesmo com várias tentativas dela e insistências eu comia.
Desta forma, fui ganhando peso e quando chegou aos 16 anos pesava 89 kg o que não parou por aí começou então a luta pela diminuição do peso já que estava mocinha e não queria se apresentar gordinha aos rapazes, aos 23 anos eu estava com 96 kg e frustada por não ter conseguido ja havia desistido de tudo e iria assumir que era gordinha e pronto.
Mas como tudo é por providência do Senhor, apareceu no meu caminho uma pessoa que incentivou a perder peso, de maneira sutil e amorosa a ajudou; essa mesma pessoa também tinha problemas com o peso, e convidou a cliente a participar das reuniões dos Vigilantes do peso.

Mas como eu não tinha condições financeiras de freqüentar as reuniões não pude continuar com o tratamento, mas esta amiga teve uma idéia, que a partir de todas as reuniões que ela fosse freqüentar, ele iria me passar todo material, então foi assim durante 1 ano e perdi perdeu 30 kg, vejam:



Hoje estou em busca de me conhecer e entender o que foi que houve. O porque de ter a comida como uma fonte de problemas na minha vida.

3 comentários:

  1. lah em casa o pessoal sempre foi bom de garfo.. tenho uam foto dos meus 6 anos e eu er abem gordinha, outra com uns 11 anos e bem magra e assim minha vida ia... uma quarta super light pra ti! bjus!

    ResponderExcluir
  2. Amiga obrigada pela visitinha!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia querida amiga blogueira !

    Resolvi passar para dar uma espiadinha no seu blog ... que é uma fofura e também para te desejar uma semana iluminada, repleta de alegrias !

    Beijos no ♥

    ResponderExcluir

Comentar pode o que não pode é desrespeitar...obrigada pela visita..

Perdeu alguma informação, busque aqui

Follow by Email